.

.

terça-feira, junho 19

RECORD X GLOBO

Fotografia deslumbrante, cenários e caracterizações perfeitas, direção de arte, figurino, maquiagem, do que tem de melhor. Estamos em 2012, época do HD e de exportação de novelas para o gosto americano do prêmio Emmy. O primeiro capítulo de Gabriela – estreia desta segunda – apresentou o melhor que a Globo podia destinar a uma superprodução. E só por isso distancia-se cada vez mais de uma comparação com a versão original da novela, de 1975, a que lançou Sônia Braga e imortalizou sua Gabriela no inconsciente coletivo do brasileiro. Aqueles eram outros tempos e a TV tinha uma estética completamente diferente.
Começa a história...
O primeiro capítulo mostrou  Ramiro (Antonio Fagundes) e seus jagunços invadindo a mata se apropriam das terras de Ilhéus e expulsando moradores da região.
Na sequência, após uma passagem de tempo, Passados  muitos anos, Gabriela (Juliana Paes) e seu tio seguem em direção a Ilhéus em busca de uma vida melhor. Uma viagem dura, debaixo de sol escaldante e sem água para beber. Gabriela acaba sozinha, pois seu tio não resiste e morre. Ela segue viagem com dois jagunços, Clemente e Fagundes
Ivete Sangalo surpreende na pele de Maria Machadão, interpreta tão bem quanto canta. E as cenas do Bataclan são impecáveis. O Tonico Bastos de Marcelo Serrado também não deixa nada a desejar ao personagem vivo na primeira versão da novela, por Fúlvio Stefanini.
Sempre impecável em suas interpretações, Leona Cavalli dá vida a uma Zarolha cheia de sensualidade. Uma escolha perfeita, pois Leona tem talento de sobra para viver uma personagem que ficou conhecida na TV na interpretação de Dina Sfat.
O encontro de Gabriela com Nacib (Humberto Martins) foi um dos pontos altos da estreia. Assim como no texto original de Jorge Amado, o casal da nova versão televisiva tem uma química perfeita. É certo que vai emplacar.
E a trilha sonora? Uma delícia. O tema da novela é o mesmo usado há 35 anos na primeira versão: Modinha para Gabriela, de Dorival Caymmi, na voz de Gal Costa.
Abertura: Uma obra de arte
A abertura da novela é impecável. Uma animação feita com areia colorida, retratando seis paisagens e cenários importantes da trama.
Um trabalho minucioso em aquarela, feito pelo artista Mello Menezes, e com a assinatura da equipe de Hans Donner que optou por fazer tudo de maneira artesanal, sem a ajuda de recursos de computação gráfica.

Do outro lado a Record explorou ao máximo a passagem de Theo Becker pela Fazenda. Rodrigo Carelli, diretor do programa “A Fazenda 5″, da Record, apostou em Théo Becker , na disputa pela audiência contra a estreia da nova novela da Globo, “Gabriela”.
“Foi apenas uma coincidência”, disse Carelli à coluna Zapping do jornal Agora de SP, ao ser questionado sobre o motivo de ter convidado Becker para entrar no reality justamente na segunda. O ator foi Um dos participantes mais polêmicos que já passaram pelo reality show ‘A Fazenda’. O ator entrou na quinta edição do programa, na noite de domingo, e a produção faz suspense se ele ficará até o final do jogo. O fato é que o ex-peão deve esquentar o clima dentro da casa. Theo participou da primeira edição do reality e, na época, causou inimizades e gerou polêmica com seus surtos. Arrumou muitas brigas e eternizou o bordão “esse é irmão desse, que é irmão desse”, enquanto batia com os braços nos peito feito um gorila.
Veja o ranking da audiência durante estreia de Gabriela:
Globo – 30
Record – 12
SBT – 7
Band – 3,5
Rede TV – 0,9
                                              COMENTE AQUI