.

.

domingo, agosto 12

É OUROOOOOOOO É PRATAAAAAAAAAA

Ao analisarmos o judô brasileiro nas Olimpíadas de Londres percebemos a evolução na estrutura oferecida aos atletas e comissão técnica e na quantidade de atletas com chances de pódio. Chegamos a Londres-2012 com a expectativa de realizar a melhor campanha do país e conseguimos.
Em Londres 2012, aumentamos quantitativa e qualitativamente o número de medalhas. Foram quatro: o ouro com Sarah Menezes na categoria 48 kg, e três bronzes, com Felipe Kitadai, na categoria 60 kg, Mayra Aguiar, na categoria 78 kg e Rafael Silva, na categoria mais de 100 kg.

Arthur Zanetti, de 22 anos, finalmente colocou o Brasil no mapa da ginástica artística em Olimpíadas. Com uma apresentação quase perfeita, o atleta paulista somou 15.900 pontos na final das argolas desta segunda-feira em Londres, bateu o favorito chinês Yibing Chen e conquistou o ouro, a primeira medalha da história do país nesta modalidade em Jogos Olímpicos. 
"Quando saiu o ouro eu só abracei meu técnico e dei um sorriso enorme. Estamos bem satisfeitos com o trabalho de muitos anos. Para 2016, o objetivo é treinar toda a equipe e aí termos chances de novas medalhas", comemorou Zanetti.

O Brasil contrariou todos os prognósticos, bateu com propriedade o time mais temido e é bicampeão olímpico de vôlei feminino. Em um jogo emocionante e que retratou bem a campanha da equipe em Londres, a seleção de Jaqueline, Sheilla e Dani Lins fez 3 sets a 1 (11-25, 25-17, 25-20 e 25-17) nos Estados Unidos e entrou para a história como o primeiro time do país a conseguir dois títulos seguidos nos Jogos.



UM VIVA ÀS MULHERES BRASILEIRAS 

COMENTE AQUI