.

.

sexta-feira, setembro 17

Cardápio para viver mais

alimentaçao saudavel
Se uma boa alimentação interfere na qualidade de vida, na Terceira Idade saber escolher os alimentos torna-se ainda mais importante. Isso porque há uma diminuição global da atividade das células, e o metabolismo fica menos ativo.
Uma dieta balanceada supre as deficiências dessa etapa e gera ainda mais vitalidade a quem esta nessa fase da vida.
A composição ideal da dieta de um idoso sadio deve seguir o padrão de 30% de gorduras (evitando gordura de origem animal), 10 a 20% de proteínas (carnes), e 50 a 60% de carboidratos (açúcares, massas, fibras).

“Diante de algum tipo de doença, esse padrão pode ser alterado, mas sempre sob controle médico”, diz a nutróloga Shirley de Campos, professora de nutrição funcional da Universidade Ibirapuera, de SP.
O prato bem brasileiro de arroz, feijão, carne, salada e vegetais, é um bom começo. Os idosos devem ter cuidado para não restringir a alimentação a carboidratos, como Paes e massas; e às formas liquida ou pastosa, como sopas.
Embora fáceis de ingerir e preparar, devem ser sempre acompanhadas de frutas, verduras, salada e proteína. Aliás, essa ultima não deve ficar à margem da alimentação de jeito nenhum.
Idosos costumam ter massa muscular mais baixa, por isso, é preciso dar atenção especial a esse grupo alimentar. Ou seja: se não gostar de carnes, adicione à dieta leite, peixe ou ovo, que também são fonte de proteína.
O cálcio é outro elemento fundamental para suprir as perdas ósseas da idade, assim como beber muita água. Idosos sentem menos sede, por isso, devem se policiar no sentido de sempre ter água por perto. Há casos sérios de desidratação nessa idade.
Cumprindo essa dieta e tendo saúde como resultado, não há necessidade de suplementar o prato com vitaminas.