.

.

terça-feira, março 1

Nina Lemos: A última madrugada do ogro sincero

Publicidade
NINA LEMOS
COLUNISTA DA FOLHA

 
"Tem dias em que eu como seis mulheres. Duas de cada vez". Quem teve a infelicidade de acompanhar o "pay-per-view" do "Big Brother Brasil" durante essa madrugada viu um show de baixaria e sexismo protagonizado pelo dançarino de axé Diogo que, segundo a pesquisa do UOL, deve deixar (para alívio geral da nação), o programa hoje.

O sujeito que já chamou mulher de puta e aconselhou seu amigo mau mau a não ficar com Maria porque ela "não valia nada'' aproveitou sua última madrugada para se exibir e mostrar que é comedor. E que, com seus amigos dançarinos, tem o hábito de tratar mulheres como lixo e fazer competições de quem pega mais.
Diogo é o exemplo do troglodita juvenil. Grita, não tem educação, não lava seu próprio prato e é o rei do bullying. Mas tenta compensar tudo isso com a máxima: "eu sou um cara sincero". E outra "eu sou alegre e para cima".

Frederico Rozário/TV Globo
Diogo deve sair hoje
Diogo deve sair hoje 

Complicada essa história de sinceridade, não? Com esse argumento, qualquer um pode fazer os maiores absurdos. Estou com vontade de cuspir na sua cara, então vou cuspir, porque, afinal, eu sou uma pessoa sincera! Eu acho que fulano é gordo, então, como eu sou uma pessoa sincera, vou lá e digo na cara dele. Ou seja, os excessivamente sinceros são uma ameaça para a sociedade. 

A segunda máxima de Diogo. Ele é uma pessoa alegre, para cima. Ok. O que é, exatamente, uma pessoa alegre? É um brasileiro caricato que fica por aí dançando axé e comendo mais de seis mulheres por dia? E que conta isso na TV sem ao menos lembrar o nome de uma delas? Será que esse sujeito é mesmo alegre? Ser para cima é sair por aí berrando? É o tom da sua voz que define se você é uma pessoa alegre?
Bem, pelo jeito, os argumentos do moço não convenceram muita gente e ele deve sair do "BBB" hoje. O que não deixa de ser um ótimo sinal. Claro, existem os que o querem na casa para ver o circo pegar fogo. Normal. Agora, é sempre bom saber que um rei do bullying que faz concurso de "quantas mulheres come" é rejeitado como exemplo. Afinal, a vida não é uma micareta.